Diogo Giacomini, técnico interino do Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG)

(Foto: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG)

LANCE!
28/11/2016
14:23
Belo Horizonte(MG) 

O Atlético-MG, que entra em campo na próxima quarta-feira para o jogo de volta da final da Copa do Brasil com um desvantagem de 3 a 1 do primeiro jogo, em Belo Horizonte, já tem uma estratégia definida para reverter a sitiuação: a compactação do time e fechar espaços. 

Pelo menos é o que apontou o treinador interino Diogo Giacomini, que substitui Marcelo Oliveira, demitido na última semana. Ele descartou um esquema com três volantes. 

- Quando falo em fechar espaços, falo em ocupar espaços importantes do campo. Prefiro não falar em três volantes. Prefiro falar em ter jogadores em espaços que o Grêmio gosta de jogar. O Grêmio é muito bem treinado e faz um sistema que parece o 4-2-3-1. Mas o Ramiro é um volante que joga na extrema direita. Luan, Douglas e Pedro Rocha não jogam fixos na frente. Isso gera muita superioridade numérica se você não estiver bem posicionado. A minha ideia é um preenchimento melhor de espaço- explicou. 

 -Vou guardar essas convicções comigo e trabalhar a partir de segunda Cidade do Galo- completou. 

Por fim, o comandante atleticano revelou que espera contar com os atacantes Luan e Carlos  e o meia Otero na decisão. O trio está se recuperando de lesão, mas será avaliado ainda nesta segunda-feira.  

 -Luan e Otero são jogadores que estão trabalhando com o departamento de transição. Antes do treino de segunda-feira, teremos uma reunião com o departamento médico para definir a posição desses jogadores e também do Carlos. Vou convocar os jogadores depois do treino e tenho que saber quais os jogadores têm condição de, pelo menos ,ir para o banco, além de avaliar os que jogaram contra o São Paulo- finalizou.