HOME - Atlético-MG x Melgar - Copa Libertadores - Robinho (Foto: Mourão Panda/Fotoarena/LANCE!Press)

HOME - Atlético-MG x Melgar - Copa Libertadores - Robinho (Foto: Mourão Panda/Fotoarena/LANCE!Press)

RADAR/LANCE!
15/04/2016
15:23
Belo Horizonte (MG)

Robinho alcançou, na noite dessa quinta-feira (14), a marca de 15 gols marcados na Copa Libertadores da América, na vitória do Atlético-MG sobre o Melgar, do Peru, no Mineirão. O número faz com que ele seja, ao lado de Leandro Damião, o brasileiro em atividade com mais bolas nas redes na competição internacional.

Questionado sobre o feito em entrevista concedida à ESPN Brasil, o craque minimizou e enalteceu os ganhos coletivos:

– Eu achei bom. Feliz pelo resultado que tivemos ontem, pela vitória convincente e pela classificação. Nosso objetivo era garantir uma classificação e deu certo. Não sou vidrado em marcas individuais, não fico de olho nisso. Mas quando elas vêm, quer dizer que estou ajudando o Galo. E é isso que importa – afirmou.

O atleta ainda avaliou a cobrança feita presidente Daniel Nepomuceno após a derrota por 4 a 2 para o Tricordiano, no domingo passado, pela 11ª rodada do Campeonato Mineiro, em pleno estádio Independência.

– Eu acho que, quando se veste a camisa do Atlético, um clube de grandeza grande, a cobrança vem em todos os jogos. O nosso objetivo é ser campeão de todas as competições. Foi mais uma conversa produtiva e positiva com o presidente. É ele quem é o nosso comandante. Agora é procurar o erro zero, porque a gente entra em um momento decisivo tanto do Mineiro quanto da Libertadores também.

Por fim, Robinho falou sobre a possibilidade de se sagrar artilheiro do Estadual, competição na qual balançou as redes adversárias em nove oportunidades.

– Você que me conhece há bastante tempo sabe que nunca fui um goleador nato. Estou tendo a felicidade de fazer muitos gols neste começo no Atlético. Nos jogos, as oportunidades aparecem. Eu troco qualquer individualidade por um título. A última vez que fui artilheiro de um campeonato foi na Copa América de 2007. Espero que eu possa ser artilheiro do Mineiro, mas também que saia com um título, que é o mais importante.