Daniel Nepomuceno

Daniel Nepomuceno se reuniu com o elenco e comissão técnica nesta segunda (Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG)

LANCE!
11/04/2016
14:50
Belo Horizonte (MG)

As duas derrotas seguidas do Atlético-MG - para Independiente del Valle e Tricordiano - geraram reação do presidente Daniel Nepomuceno. Nesta segunda-feira, antes do treino na Cidade do Galo, o dirigente reuniu elenco e comissão técnica por cerca de 50 minutos. O tom da conversa foi de cobrança e confiança, de acordo com o próprio mandatário.

- Tivemos uma reunião com todo o elenco e a comissão técnica. Foi um dia de muita cobrança. Tenho que dar satisfação para a torcida e para a imprensa. Foi uma reunião longa, mostramos confiança nos jogadores e na comissão técnica. Acreditamos neles - declarou Nepomuceno em coletiva nesta segunda-feira.

A reunião ocorre no início de uma semana decisiva para o Atlético-MG. Na quinta-feira, a equipe de Aguirre precisa de um empate com o Melgar (PER), em Belo Horizonte, para garantir vaga nas oitavas de final da Libertadores.

No domingo, dia 17, o Galo encara a URT, na primeira partida das semifinais do Campeonato Mineiro, em Patos de Minas. Para o presidente, as últimas atuações do Galo não podem se repetir nos duelos decisivos que o time tem pela frente. 

- Não podemos cometer nem 10% dos erros da última semana. Viemos para cobrar dos jogadores, da comissão técnica, para mostrar a pressão que vamos passar contra o Melgar e nas semifinais do Mineiro. E principalmente da responsabilidade que é ter um elenco forte como o que construímos e da responsabilidade de avançar na Libertadores e ganhar o Estadual - afirmou.

Mesmo que tenha atuado com uma equipe mista, a derrota para o Tricordiano por 4 a 2 na Arena Independência foi classificada por Daniel Nepomuceno como "vergonhosa". O presidente declarou que agora "o alarme está ligado".

- Eu não fui ao campo ontem para ver o time perder de 4 a 2. Sinto vergonha pela derrota, ela é indiscutível. A dedicação é muita, tem muito trabalho, e um resultado desse coloca em xeque o meu trabalho. Mas eu tenho que acreditar que o resultado de ontem sirva de lição, porque senão perco o objetivo. Temos que apresentar mudanças e ter mais foco em nosso objetivo - disse o dirigente.