Diante do Villa Nova, Diego Aguirre deve escalar o Galo com três volantes (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Treinador considerou normal as vaias do torcedor atleticano (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

RADAR/LANCE
23/04/2016
20:17
Belo Horizonte (MG)

Nem tudo foi perfeito para o técnico Diego Aguirre neste sábado. Apesar da vitória do Atlético-MG por 2 a 0 diante da URT, que classificou o Galo para a final do Campeonato Mineiro pela décima vez seguida, o treinador teve que escutar as vaias do torcedor que compareceu ao Horto. Quando o placar ainda estava no perigoso 0 a 0, a torcida atleticana questionou a demora de Aguirre para fazer as alterações, o que só foi acontecer depois de Lucas Pratto abrir o placar.

- Achei que não era melhor fazer nenhuma substituição. Estava tudo bem no jogo, mas faz parte do futebol que queiram que eu troque um ou outro. Achei que o jogo estava controlado, as críticas naturais, por paixão e vontade de ganhar, o torcedor se manifesta. Ao longo de minha carreira, já transformei críticas em elogios e aplausos, e vai ser assim mais uma vez – falou o uruguaio.

Para Aguirre, o mais importante na tarde de sábado foi continuar tornando possível um dos objetivos atleticanos neste início de ano, que é levantar a taça do Mineiro.

- Se me perguntassem no começo da temporada, eu assinaria. Se me dissessem que estaríamos nas oitavas de final da Libertadores como primeiros do grupo, que estaríamos na final do Mineiro. Outra coisa não é possível fazer, não tem mais competição. Estamos alcançando o que queríamos – completou.

Falando em Libertadores, o foco do Atlético já está novamente voltado para o torneio continental. Nesta segunda-feira, a equipe vai embarcar para a Argentina e na quarta-feira faz o primeiro duelo das oitavas de final contra o Racing.