Diego Aguirre (Foto: Divulgação / Atlético-MG)

Diego Aguirre (Foto: Divulgação / Atlético-MG)

LANCE!
23/01/2016
13:36
Belo Horizonte (MG)

Desde que Levir Culpi aboliu a concentração no Atlético-MG, em agosto de 2014, logo após a saída de Ronaldinho Gaúcho, os jogadores não cogitam retomar o regime. Com a chegada de Diego Aguirre para a vaga do antigo treinador, o assunto voltou à tona. Entretanto, não preocupa o uruguaio, que cogita a manutenção da ideia inserida por seu antecessor.

O novo comandante alvinegro cita os clubes europeus para explicar por que deve manter o regime adotado por Levir na Cidade do Galo.

– Não é uma coisa que me preocupa. Às vezes, podemos concentrar, às vezes, não. Tudo depende da importância. Provavelmente, vamos fazer as duas coisas. Mas não é a uma preocupação. Não é tão importante assim concentrar ou não concentrar. Na Europa, ninguém se concentra – afirmou.

Capitão da equipe há dois anos, Leonardo Silva também destaca a ausência de concentração e crê que a manutenção do regime proporciona a proximidade dos jogadores com os familiares.

– O futebol está evoluindo, todos os atletas são profissionais e é importante ficar próximo da família. Ficar distante da família é complicado, isso ajuda a se aproximar da família. Quando você fica 15 dias seguidos aqui, cansa demais, você fica com o corpo cheio. Está sendo importante – concluiu.